BLOG

Osteopatia e a Amamentação

Texto por: Lucas Villalta – Fisioterapeuta e Osteopata A amamentação é natural, mas pode não ocorrer naturalmente. Raros são os casos em que a mãe não tem dificuldades para amamentar. Na realidade, a grande maioria dos casos irá necessitar de auxílio e consultoria. Dentre as queixas mais comuns estão o desconforto, dor nos mamilos, rachaduras, má […]

26 de agosto de 2020
osteopatia-na-amentação

Texto por: Lucas Villalta – Fisioterapeuta e Osteopata

A amamentação é natural, mas pode não ocorrer naturalmente. Raros são os casos em que a mãe não tem dificuldades para amamentar. Na realidade, a grande maioria dos casos irá necessitar de auxílio e consultoria.

Dentre as queixas mais comuns estão o desconforto, dor nos mamilos, rachaduras, má pega, regurgitação, mastite etc. Essas questões podem ser inicialmente resolvidas com uma Consultora de Amamentação, porém a dificuldade pode persistir e levar a consequências mais graves para a mãe e para o bebê, por exemplo, rachaduras no bico do peito infeccionadas e baixo ganho de peso para os bebês.

Existem inúmeras causas para essas dificuldades, na visão da Osteopatia alguns desses problemas são devido a alguma disfunção na mãe e outras no bebê. A disfunção é uma falta de mobilidade entre as estruturas (músculo, ligamentos, articulações, fáscia) do corpo que altera o seu funcionamento.

O bebê pode ter essas dificuldades de amamentação, pois durante a gestação e durante o parto eles sofrem pressões e traumas em regiões importantes do corpo.

Durante a gestação e o parto, o posicionamento e as pressões que o bebê sofre podem alterar a mobilidade de estruturas na coluna, pescoço, mandíbula e no crânio. Nessas regiões estão localizados músculos, fáscias e nervos que controlam os movimentos do pescoço, língua, lábios e cabeça.

Essas disfunções podem gerar uma inabilidade em abrir a boca o suficiente ou em controlar os lábios para produzir o selamento e a pega adequada, alterando o sugar e o engolir. Eles também podem ter dificuldade em posicionar a cabeça de forma apropriada, fazendo com que tenham preferência por amamentar em um dos seios.

Se o bebê tem qualquer restrição dos músculos do pescoço, da mandíbula ou até na própria língua eles podem não conseguir sugar o leite. Essa restrição pode gerar uma fadiga/cansaço para o bebê, fazendo com que o próprio ato de mamar seja exaustivo. Isso pode repercutir num baixo ganho de peso e dificuldades no desenvolvimento.

A osteopatia nesses casos tem como objetivo liberar qualquer restrição sobre tecidos que estejam com falta de mobilidade, mais comuns de serem encontrados na coluna torácica superior, pescoço, mandíbula e crânio. Isto é realizado através de uma gama de técnicas sutis para minimizar essas tensões.

Ao normalizamos a mecânica da sucção, a amamentação torna-se mais confortável para a mãe e para o bebê, melhorando seu comportamento e desenvolvimento.

A amamentação aparenta ser tão natural, mas exige muito esforço. Acredito que um dos melhores presentes que você pode dar ao seu filho é o leite materno, seja direto do peito ou expresso em uma mamadeira ou na combinação de mama e fórmula.

Contacte o seu profissional de saúde para obter mais informações se tiver alguma dúvida. Este artigo não pretende substituir o conselho de seus profissionais de saúde.

 

Quer receber mais conteúdos exclusivos semanalmente sobre assuntos como esse e outros? Preencha nosso formulário abaixo:

Depoimentos

Minha doula, Karen, que me mostrou que muitos “nãos” podem ser convertidos em um único “sim”. Aquele que terá valor para o resto de sua vida, como a fênix faz a mulher renascer das cinzas, que faz adormecer a mulher fragilizada, para dar espaço a mulher dona de si, do seu destino e mãe. E que fez tudo para que isso acontecesse de uma forma serena, cheia de luz e paz. Para você, querida, que foi meu porto seguro, que fez tudo e que viveu minha perda e tornou isso a maior conquista e descoberta da minha vida: Todo amor que houver nessa vida.

Marilene Pereira

A drenagem linfática sempre me ajudou desde antes da gestação, mas principalmente durante ela, quando os inchaços são mais constantes. Além disso, contar com uma profissional bem atualizada me deixa bastante tranquila em relação ao parto (Karen será minha doula), sem contar todo o acolhimento recebido.

Juliana Ferraz

Conheci a Pamela este ano e recebi um enorme benefício para meu corpo e minha saúde. Sua conduta é profissional de grande qualidade, dedicação e seriedade, sempre preocupada em estudar a saúde de cada paciente em particular. Indico sempre seu trabalho!

Liliana

Bem , conhecer a Karen foi um prazer para mim , Gio e nosso filho Pedro . Iniciamos o preparo perineal com ela no terceiro trimestre de gestação com uma consulta atenciosa e profissional na clinica Healize. Tive uma dedicação da Karen desde o primeiro contato, e eu mesmo sendo médica precisei de muitas informações para meu desempenho no parto. Mesmo com o preparo que nosso corpo nos dá para o parto , a massagem perineal e o uso do EPi nos deixaram seguras frente ao trabalho de parto. O Pedro nasceu de 39 semanas e 3 dias de parto normal sem ipisiotomia sem nenhuma laceração em meu períneo , isso nos deixou muito gratas com o atendimento recebido na Healize.

Carolina Cresciulo

Tenho 68 anos e há 2 anos atrás não estava bem, com o corpo todo enrijecido, fortes dores me impossibilitando de andar ou subir degraus, foi quando decidi experimentar o Pilates, foi a minha cura. Gostaria de dizer que o Pilates tem que ser muito bem orientado e bem acompanhado, o que encontrei na Healize, com uma profissional séria, competente e que está sempre se atualizando com cursos e estudos.

Aidir Maria