BLOG

O pai e sua corresponsabilidade ao cuidar do bebê

Quarto decorado, enxoval preparado, planos para o futuro. Ter um filho ou filha é o sonho de muitos casais, mas assim que a gravidez é confirmada, uma série de mudanças e imprevistos passa a fazer parte da vida dos futuros pais até o parto e mesmo após o nascimento. Algumas novidades são legais, outras nem […]

10 de agosto de 2017
pai-corresponsabilidade-cuidado-filho-healize

Quarto decorado, enxoval preparado, planos para o futuro. Ter um filho ou filha é o sonho de muitos casais, mas assim que a gravidez é confirmada, uma série de mudanças e imprevistos passa a fazer parte da vida dos futuros pais até o parto e mesmo após o nascimento. Algumas novidades são legais, outras nem tanto.

Devido à cultura da sociedade, a maior parte da responsabilidade sempre ficou a cargo da mãe. Mas as coisas estão evoluindo e hoje se sabe que o papai pode (e deve) assumir um papel de corresponsabilidade em todo o processo.

Pai e gestação


A figura do pai é fundamental desde a gestação. A presença do companheiro contribui para que a mulher sinta-se acompanhada, com suporte durante os meses que estão por vir. Tanto no apoio emocional quanto na presença às consultas, na atenção às informações transmitidas sobre as fases da gravidez.

Durante a preparação

A figura do pai como sendo apenas o provedor da casa está ultrapassada há tempos. Até porque cada vez mais mulheres também assumem esta responsabilidade. Assim, o pai deve ficar atento para decidir junto à mãe a decoração do quarto, preparar o enxoval, aprender os cuidados com a criança (como trocar fraldas, dar banho, colocar o bebê para dormir)  entre outras responsabilidades.

Na sala de parto

A presença paterna é de extrema importância no parto. É a hora de compreensão pelo momento único que a mulher está passando, pelas sensações que ele jamais vai sentir, por poder estender a mão. A presença do pai deve ajudar a gestante a se sentir segura.

Se a escolha for o parto normal, o pai pode contribuir com exercícios para o parto e técnicas de respiração, método para alívio de dor, entre outras medidas, segundo a doula Karen Cambero, da Healize.

No pós-parto

Nesta hora a atuação o pai deve ser ainda mais determinante: dar banho no bebê, alternar quem atende a criança nas acordadas noturnas, trocar fraldas, ajudar a mãe a preparar o peito para a amamentação e, sobretudo, continuar a ser marido e companheiro da mulher.

Olha que bacana esta dica: acalentar o filho na hora de dormir e fazer massagem nos momentos em que o bebê sente cólica. Por outro lado, deve ajudar nas tarefas da casa, como providenciar as refeições, fazer as compras e pagar as contas. Fazer brincadeiras com o bebê e falar com ele são maneiras de tornar sua presença mais íntima.

Pode parecer que o trabalho seja mais importante no momento, mas não é. Dê prioridade à sua família e não se arrependa depois. O pai deve tirar a licença-paternidade e aproveitar esses dias para se dedicar exclusivamente ao bebê e à companheira.

Em caso de pais separados

Mesmo que separado da mãe, o pai deve participar o máximo possível da rotina do filho. Ainda que a relação entre as partes não seja das melhores, o filho não deve ser a vítima da situação. Fazer parte da vida de um filho é fazer parte de seu mundo, é conhecê-lo.

Pai, participe!


Se você é ou será papai e não se sente à vontade com esta proatividade toda, não precisa fazer tudo de uma vez. Entenda que sua participação é muito importante e não deixe que sua companheira assuma sozinha estas responsabilidades. Tente se envolver aos poucos, comece ouvindo sua esposa, participe de encontros que possam fazer com que você se solte mais. Aqui na Healize temos encontros de pais que poderão ser úteis para que você possa compartilhar este momento e possa ser presente na vida de seu filho desde o início.


Depoimentos

Minha doula, Karen, que me mostrou que muitos “nãos” podem ser convertidos em um único “sim”. Aquele que terá valor para o resto de sua vida, como a fênix faz a mulher renascer das cinzas, que faz adormecer a mulher fragilizada, para dar espaço a mulher dona de si, do seu destino e mãe. E que fez tudo para que isso acontecesse de uma forma serena, cheia de luz e paz. Para você, querida, que foi meu porto seguro, que fez tudo e que viveu minha perda e tornou isso a maior conquista e descoberta da minha vida: Todo amor que houver nessa vida.

Marilene Pereira

A drenagem linfática sempre me ajudou desde antes da gestação, mas principalmente durante ela, quando os inchaços são mais constantes. Além disso, contar com uma profissional bem atualizada me deixa bastante tranquila em relação ao parto (Karen será minha doula), sem contar todo o acolhimento recebido.

Juliana Ferraz

Conheci a Pamela este ano e recebi um enorme benefício para meu corpo e minha saúde. Sua conduta é profissional de grande qualidade, dedicação e seriedade, sempre preocupada em estudar a saúde de cada paciente em particular. Indico sempre seu trabalho!

Liliana

Bem , conhecer a Karen foi um prazer para mim , Gio e nosso filho Pedro . Iniciamos o preparo perineal com ela no terceiro trimestre de gestação com uma consulta atenciosa e profissional na clinica Healize. Tive uma dedicação da Karen desde o primeiro contato, e eu mesmo sendo médica precisei de muitas informações para meu desempenho no parto. Mesmo com o preparo que nosso corpo nos dá para o parto , a massagem perineal e o uso do EPi nos deixaram seguras frente ao trabalho de parto. O Pedro nasceu de 39 semanas e 3 dias de parto normal sem ipisiotomia sem nenhuma laceração em meu períneo , isso nos deixou muito gratas com o atendimento recebido na Healize.

Carolina Cresciulo

Tenho 68 anos e há 2 anos atrás não estava bem, com o corpo todo enrijecido, fortes dores me impossibilitando de andar ou subir degraus, foi quando decidi experimentar o Pilates, foi a minha cura. Gostaria de dizer que o Pilates tem que ser muito bem orientado e bem acompanhado, o que encontrei na Healize, com uma profissional séria, competente e que está sempre se atualizando com cursos e estudos.

Aidir Maria